Mundo Surreal

sábado, 2 de junho de 2012

Em Um



Beijar cada fio do seu cabelo, refletir meu sorriso bobo
no castanho dos seus olhos, tecer um fio de carícias no seu rosto,
confundir dedos e cabelos, minha boca e sua...
Uma casinha de cobertor
no canto mais quentinho da cama
onde acordamos em um
e ali, bem ali,
depositar o nosso amor,
encubado, nutrido,
para que cresça
e se mostre sinceridade.

Queria pensar em você e fechei os olhos,
e acabei me perdendo.
E meu coração mimado faz manha e bate o pé
diz que se você não voltar vai continuar
amuado
emburrado
pulando
e chorando
até ficar cansado e ir dormir
depois de tomar o Nescau e escovar os dentes.

Você acostumou minhas mãos à sua cintura
e meus olhos estão com frio, tremendo
sem o gelo aquecedor e incerto dos seus
Mas a certeza torna ao meu ser
quando você faz do meu peito travesseiro
nas noites de música, pintura e poesia
apenas para ir embora novamente
na inquietante calmaria do dia seguinte.

O que não faz uma janela bem grande e um tempo nublado?
Soma-se a isso um pouco de bem-me-quer
e um pequeno diálogo de olhares.
Pronto.

Depois eu sussurro que te quero longe
enquanto sua lembrança grita querer ficar
e o que posso eu fazer contra esse pedido tão gentil
que sempre esteve agarrado em meu tão pesado ser?
O "não" se torna "sim"
quase tão espontaneamente quanto acordar de manhã
e experimentar a insípida sensação de não tocar seu corpo
como deveria ser antes de se tornar comum a sua ausência.
Você é a minha manhã fria
e ao mesmo tempo minha cama quente.

Ela queria sair de mim para correr no seu rastro
segurei-a pela perna:
volte, preciso de você dentro de mim
Essas almas de hoje em dia estão cada vez mais rebeldes
Mas às vezes duvido que tenha realmente
conseguido segurar.
Por favor, olhe ao seu lado.
Deve estar aí em algum lugar.
E quando achar, devolva-me.
E se ela estiver meio murcha, não se preocupe;
ela já esteve cheia de você por tempo suficiente.



Curioso o que uma lembrança pode fazer. Pode te dar um tema por muito tempo, até que você mesmo se canse.

Um comentário:

  1. Ain, que saudade do meu menino e sua poesia... Achei lindo, lindo! :)

    ResponderExcluir